Preparativos para a Guerra

Londres, em 1939, era a maior cidade do mundo. A Grande Londres era a moradia de 8,2 milhões de habitantes e capital do Império Britânico.

No período entre-guerras, se acreditava que em uma guerra moderna, bombardeios aéreos iriam devastar as cidades, matando centenas de milhares, causando pânico e destruindo a moral da população.

Apenas pouco antes da guerra, medidas de defesa contra bombardeios aéreos começaram a ser tomadas – instalação de canhões antiaéreos, balões de barragem e holofotes nos parques e praças da cidade e em um cinturão em torno de Londres.


Sirenes de aviso
O governo instalou sirenes para avisar a população de ataques aéreos. Ao ouvir uma sirene, os cidadãos devem se encaminhar para um abrigo ou buscar um local mais protegido.


Abrigos anti-aéreos
Abrigos foram construídos em várias residências para proteger das bombas. Os abrigos construídos com material fornecido pelo governo nos jardins das casas são chamados de Abrigos Anderson. Neles, uma família com até meia dúzia de pessoas podia se proteger ao soar das sirenes antiaéreas.
assembling_shelter.png


Leave.jpg
Evacuação das Crianças
Em 1939, quando a guerra foi declarada, o governo, temendo os ataques aéreos, ordenou a evacuação de Londres de centenas de milhares de crianças, mulheres com filhos menores de cinco anos e grávidas.


Skyline_london_blackout.jpg
Blecaute nas ruas
Ao anoitecer, Londres vive na escuridão. Para proteger a cidade, a ordem é apagar todas as luzes nas ruas. Vigias patrulham cada quarteirão para garantir que nem uma fresta de luz escape dos prédios e residências.

london_road.jpg
Carros devem reduzir as luzes dos faróis para o mínimo, as ruas foram marcadas de branco para ajudar a andar na escuridão e os postes foram desligados.

Poster_blackout.jpg
Dirigir e andar nas ruas escuras após à noite é uma experiência estranha em uma época de blackout – a visibilidade é quase nula. As pessoas andam com pequenas lanternas para ajudar a ver o caminho.


Máscaras de Gás
Em Londres, todos vivem sob a sombra da guerra. A ameaça de bomba é constante. O governo determinou que todos os cidadãos carreguem máscaras de gás. Até mesmo para as crianças que permaneceram em Londres (ou foram trazidas de voltas por seus pais após o bombardeio temido em 39 não ter vindo) foram distribuídas máscaras de gás com formato do Mickey.


identity_cards.jpg
Carta de Identidade
A partir de 1939 o governo britânico instituiu um documento de identidade obrigatório para todos os cidadãos. Ele contém nome, idade, endereço e profissão. Devem ser usadas durante todo o tempo e apresentas à polícia ou militares da Home Guard. São necessárias também para usar os cupons de racionamento.

Militares e agentes do governo têm suas próprias identidades. A dos funcionários do governo é verde e inclui uma foto.


Racionamento
Gasolina: racionada desde setembro de 1939.
Carne: racionada desde fins de 1939.
Outras comidas: passaram a ser racionadas a partir do início de 1940. Grávidas e crianças têm prioridade para frutas frescas e leite. Os Britânicos recebem um cartão de racionamento, que devem carregar consigo. Restaurantes estão fora do racionamento, o que permite comer fora de casa ao invés de usar os cupons de comida.

Preparativos para a Guerra

The Darkest Hour HouseWayne HouseWayne